27 abril 2017

Maria – mãe de Jesus



Na cidade de Nazaré vivia Maria, a jovem que fora escolhida para ser a mãe do Salvador de toda humanidade. Embora ela seja erroneamente venerada e até adorada por muitos, há algo especial em Maria que a torna um exemplo para mulheres de todas as épocas e culturas.
Não foi por acaso que ela foi escolhida para ser a mãe de Jesus. Ela era de fato uma mulher que amava a Deus de todo coração e confiava nele.  Maria agradou ao Senhor quando creu que cumpriria tudo que o anjo Gabriel lhe dissera. Em Lucas 1.45-55 sua fé está expressa de forma poética e muito bela no cânticos  por ela entoado quando foi visitar sua prima Isabel. Ela reconheceu Deus como seu salvador e o louvou por sua santidade soberania e poder. Agradeceu a Deus com, o coração cheio de alegria, lembrando da fidelidade do Senhor para com seu povo.
   Maria se destaca também por sua humildade e submissão a Deus. Quando o anjo Gabriel apareceu a ela anunciando o que iria acontecer, ela se dispôs para que tudo se cumprisse de conforme sua a Palavra de Deus. Sua reputação estava em jogo, afinal estava noiva de José, mas isso não a preocupou. Ela confiou plenamente na soberania do Senhor e entregou-se de corpo e alma para que o plano de Deus se concretizasse por meio dela.
O nascimento de seu primogênito aconteceu em circunstâncias inusitadas. Por causa do recenseamento ordenado pelo imperador César Augusto, José e Maria tiveram de deslocar-se até Belém, sua cidade natal. Maria estava grávida e teve que fazer uma viagem bastante desconfortável que durou quase três dias, num percurso de aproximadamente cem quilômetros. Ao chegaram em Belém por causa da aglomeração de pessoas na cidade, não conseguirão acomodação adequadas.
  Quando Jesus nasceu, os pastores das redondezas vieram para vê-lo e contaram sobre a aparição do anjos que anunciaram o nascimento do Messias e louvaram a Deus. Maria guardavam tudo em seu coração e refletia sobre aquelas coisas, provavelmente imaginando que outras surpresas lhe aguardavam. Maria se maravilhou diante de seu Salvador que se humilhara fazendo-se humana. Aquele bebê precisava dela para ser alimentado, consolado, protegido.  Assombrada com tamanho privilégio, Maria tomava o Filho de Deus em seus braços e o amamentava, dando-lhe banho, o punha para dormir. E assim Jesus cresceu sob os cuidados dessa mãe zelosa, amorosa obediente e cheia de fé. O bebê tornou-se menino e maravilhava a todos com sua sabedoria e entendimento. Ele foi crescendo em sabedoria estatura e graça diante dos homens. Já homem, despediu-se de sua mãe e partiu para cumprir o seu ministério. Logo, as notícias  de suas curas milagres libertação e ensinos chegaram a Nazaré. Por certo, Maria refletia em tudo e se lembrava, das palavras trazidas pelo anjo Gabriel, de que Ele seria grande e chamado Filho do Altíssimo. 
  Quando o primogênito agonizava na cruz,  apesar das lágrimas e do sofrimento Maria continuava aceitando o propósito supremo de Deus. Em seu íntimo, ela louvava a Deus por ter sido escolhida para carregar em seu ventre aquele que traz a esperança e salvação e que mudou para sempre a história da humanidade.

"Pois olhou para a humildade de sua serva. Desde agora todas as gerações me chamaram bem-aventurada, pois grandes coisas me fez o Poderoso  Santo é seu nome."  Lucas 1:48-49
Porque atentou na baixeza de sua serva; Pois eis que desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada,
Porque me fez grandes coisas o Poderoso; E santo é seu nome.
Lucas 1:48,49
Share with the world:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Designed by Beautifully Chaotic